actualizado: 24/10/2011 | de FCH/UCP
O acordo ortográfico

1) O tratado internacional de 1990



1 O tratado internacional de 1990 - 1 (© © AP Photo Francisco Seco)
seguinte
anterior
anterior
  • 1 O tratado internacional de 1990 - 1 (© © AP Photo Francisco Seco)
  • 2 Os oito do acordo ortográfico - 2 (© © Diana Macias)
  • 3 Sites, ferramentas e livros - 3 (© © AP Photo Christophe Ena)
  • 4 Muitas alterações - 4 (© © Diana Macias)
  • 5 Há maiúsculas que fogem - 5 (© © Diana Macias)
  • 6 Há palavras perdem o acento - 6 (© © Diana Macias)
  • 7 O hífen deixa de ligar palavras - 7 (© © Diana Macias)
  • 8 Estar lá ou não, é indiferente - 8 (© © Diana Macias)
seguinte
© AP Photo Francisco Secomostrar imagens
anterior1 de 10seguinte
partilhar

O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa é um tratado internacional de 1990, assinado em Lisboa a 16 de dezembro do mesmo ano. Para assinar este tratado juntaram-se em Lisboa todos representantes de cada país de língua oficial portuguesa.Em 2008, depois de muitas retificações o acordo ortográfico foi finalmente ratificado na Assembleia da República e promulgado pelo presidente Aníbal Cavaco Silva.

67Comentários
30 ago, 2012 15:24
avatar
É uma vergonha: para quê tanta festa no dia de Camões se nem sequer temos o português que ele deixou??? Porquê obrigar toda a gente a escrever português abrasileirado??? Se metade dos portugueses dizem facto e não fato, arquitecto e não arquiteto, rectângulo e não retangulo, Egipto e não Egito, e mais.... Só porque alguns comem algumas letras e ganham 20, 30, 40 000€  ou mais por mês, temos que segui-los?????
Tenham vergonha!!!Preo****pem-se com o desemprego e a corrupção do país em vez de passar a mão na cabeça desses gajos que ganham balúrdios e não percebem nada de dignidade portuguesa!!!!!
27 out, 2011 23:25
avatar
Por mais que se esforcem alguns pseudo "adiantados mentais", o (des)acordo não vai triunfar. A maioria da população continuará a escrever como até aqui, quanto mais não seja por inércia. Muitos jornais e até televisões usam a grafia antiga (só a RTP usa a nova, vá-se lá saber porquê). E agora querem impor a alunos no 10º ano uma nova forma de escrever? Como se não houvesse outras prioridades. Português como língua de trabalho nas Nações Unidas? Mas quais Unidas? Aquelas que tinham o Khadafi a presidir à comissão dos direitos humanos? Bendita tacanhez e provincianismo serôdio. Haja paciência.
29 ago, 2012 20:54
avatar
Em relação ao AO, o que me apetece dizer, é somente isto: Estava-mos muito bem como estava-mos! Passaram-se sé****los, e os "PALOP", sempre se entenderam na forma como cada um falava a sua língua, porque raio, algum iluminado, se havia de lembrar de querer modificar a forma como os povos falam a sua língua?... Já não ando na escola, nem tenho filhos em idade de andar, por isso, irei continuar a falar e a escrever como aprendi nos meus tempos de escola. Serei sempre contra a descaracterização da língua portuguesa. «Abaixo o Acordo Ortográfico!»
29 ago, 2012 21:45
avatar
Que tristeza seria os nossos antepassados verem estas alterações ortográficas. Já não temos a lingua portuguesa e seus sotaques,mas passaremos a ter o pretobrasoguês. Cada vez somos menos portugueses e mais qualquer tropa de seja lá donde for. Há coisas das quais o povo português não deveria desistir  fosse porque razão fosse, bem como os outros países envolvidos no acordo. Cada um tem sua ****ltura, bela do seu modo a qual deveria persistir, entre ela a lingua. Todos nos conseguimos entender se quisermos, porquê então mudar o que está bem?
avatar

eu nem em pensamento mudo uma virgula,em nada do que escrevo....

Posso aceitar muita coisa que seja POSITIVA e que realmente ajude o meu PAÍS.....

 A ESPANHA , FRANÇA ALEMANHA ,HOLANDA,E MUITOS OUTROS PAÍSES,NUNCA MUDARAM A FORMA DE ESCREVER PARA AGRADAR A OUTRO PAÍS mesmo falando a mesma LINGUA.

e agora veem os senhores DOUTORES dizer que se deve escrever com o ACORDO BURRO QUE ELES ACEITARAM.

POBRE PAÍS governado por ignorantes

29 ago, 2012 19:01
avatar
o problema é que jovens estudantes, como eu, não têm alternativas. Sou aluna do se****ndário, e a minha professora de português desconta pontos nos testes, causa do novo acordo ortográfico. A adaptação foi estranha, inicialmente, e até revoltante, mas agora escrevo com o novo OA porque não tenho alternativa, mas de facto, deixa-me bastante triste, porque estamos mesmo a perder a nossa identidade. Este novo OA, é claro que pode ser tido como uma evolução da nossa língua, porque ao longo dos anos, já houver outros. Contudo, todos nós sabemos que este não passa de uma manobra política para nos aproximar-mos do Brasil, já que nos convém tanto neste momento... pelo que vim a saber, lá por Angola e Moçambique, não se tem feito muito caso do OA, porque claramente eles não precisam disto... infelizmente, este deve durar! pobres das crianças que entram agora na escola e já não vão saber o que é português de portugal. Apenas identificar-se com uma mistura de palavras de diferentes países.
3 nov, 2011 01:12
avatar
O **** que teve a ideia do "novo acordo de  ortografia" devia ter andado a fumar uns paivase isso subiu-lhe demasiado a cabeça. Cabe na cabeça de alguem isso!!!!! e as pessoas ja ja sairam da escola e que estudaram tantos anos o portugues, vao ter que voltar a escola????Parece k sim!!! para aprender o "NOVO PORUGUES". isso é mais uma maneira de as editoras fazerem mais dinheiro e estrangularem as Familias com mais gastos. precece que os burros somos nos por nao sabermos escrever correctamente.... Por mim que haja acordo ou nao eu vou escrever sempre como estudei, nao vai ser agora por um armado em mais intelegente que os outros que vou mudar isso. Para isso ficamos com a escrita em forma de sms é mais facil, rápido, ****rto, e poupa-nos trabalho... por isso pessoal fazei o que quiserdes mas eu nao vou mudar....
23 nov, 2011 21:57
avatar
Ninguém com o mínimo de seriedade apoia este Monstro.
29 ago, 2012 19:45
avatar

Assim, como é terrível para vocês, também  o é para os brasileiros. Estou lendo alguma obras aqui publicadas e estou vendo alguns ditongos que eram acentuados e hj n são mais.E o pior, parece-me, que ao ser lido, deverá o leitor pronunciar como se acento tivesse. Infelizmente a Lingua Portuguesa, para nós, do lado de cá do Atlântico, está muito influenciada não só pelo inglês, como também da in ternet. Os comércios, em  suas diversas propagandas, tem usado tudo. O erro pasou a ser" charme"

que na realidade, tornou-se erro maior.Claro e evidente também são os regionalismos de cada país de língua portuguesa, que devem ser mantidos, como enriquecimento  à propria manutenção dos costumes. Aqui, por exemplo, com a influência negra, índia, além dos brancos portugueses, as palavras foram incluídas em nossas dicionários. Por exemplo:angu, iemanjá.. etc... O significado de rapariga, para vocês, é moça, moçoila, para nós aqui, chamar uma mulher de rapariga e chamá-la de ****. As escolas públicas devem aumentar a carga horária da Lingua Portuguesa para que se escreva bem e fale a lingua mãe. Abraços a todois.

7 set, 2012 18:04
avatar
Não é uma questão de patriotismo, é uma questão de IDENTIDADE. A maneira como escreviamos e falávamos, tinha sentido, pois era coerente com as próprias regras da língua portuguesa. ex: Janeiro passou a janeiro (com o novo acordo), mas nós todos aprendemos que nomes próprios começam sempre com letra maiús****la e Janeiro é o nome de um mês, logo é um nome próprio, não um nome comum, como "mês", mês sim é um nome comum porque é comum a outros nomes próprios (Fevereiro, Março ...). Quem me dera que este acordo fosse cancelado há força toda!
Denunciar
Por favor ajude-nos a manter uma comunidade mais saudável, reportando qualquer comportamente ilegal ou inapropriado. Se acreditar que a mensagem viola oCódigo de CondutaPor favor utilize este formulário para notificar os moderadores. Eles investigarão o seu relatório e tomarão as medidas adequadas. Em caso de necessidade, as devidas entidades reguladoras serão informadas sobre qualquer actividade ilegal.
Categorias
Limite de 100 Caracteres
Tem a certeza que quer apagar esta mensagem?

o msn recomenda...

estudo